Crise de Ansiedade e Ataque de Pânico

De uma maneira alarmante os índices de doenças que envolvem a ansiedade tem crescido de maneira exponencial nos últimos anos. Pela estatística americana em torno de 40 milhões de pessoas são acometidas o que representa 18% da população acima dos 18 anos1.

A principal pergunta perante a esse fato seria, por que tem aumentado tanto o número de pessoas com esses problemas?

O fato está associado ao stress, este é o principal gatilho para desencadear todo o processo que levará aos transtornos e ao ataque de pânico. Nosso sistema nervoso tem funções como medo e ansiedade controlados por regiões conhecidas como amígdala e hipocampo. Isso ocorre de tal forma que a amígdala recebe a informação, interpreta e o hipocampo fica responsável por pegar os eventos e colocá-los na memória. Fatores capazes de gerar um desequilíbrio nesse funcionamento podem exacerbar a interpretação, guardar uma imagem inadequada e futuramente desencadear todo o processo das doenças2.

Num caminho paralelo a estes fatos, as prescrições de benzodiazepínicos tem crescido a ponto de triplicar as vendas de 1993 até 2016 3. A ação desses medicamentos ocorre sobre uma região responsável pelo aumento do neurotransmissor GABA, local em que temos influencia também dos opioides e dos cannabinoides. Todo esse processo leva a uma quebra no processo da ansiedade, acalmando a pessoa momentaneamente. Seria ótimo, mas os efeitos colaterais surgem e a “Benzodiazepine withdrawal syndrome” é o desfecho com sintomas como: tremor, insônia, dor muscular e por incrível que pareça PÂNICO 4! Ou seja, o que era para ser tratamento passou a ser causa da doença!

Grande nomes no mundo já colocam o tratamento tradicional com medicamentos como um grande problema para as pessoas. Novos caminhos tem sido escolhidos com foco de fato na causa dos problemas. Começaram a descobrir problemas nestes pacientes principalmente associados (5) a deficit de magnésio, omega 3, vitamina D3 e ainda contaminações exógenas por glifosato, alimentação rica em corantes, uso continuo de celulares e adoçantes artificiais.

1 – NIMH.NIH.gov, Anxiety Disorder Statistics

2 – National Institute of Mental Health, What is Anxiety Disorder?

3 – American Journal of Public Health February 18, 2016

4 – Addiction November 1994 Nov;89(11):1455-9

5 – Epoch Times July 24, 2016

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: