Outubro Rosa – a Luta contra o Câncer de Mama

Estatisticamente, depois do câncer de pele, o câncer de mama representa o tipo mais comum entre as mulheres. A epidemiologia americana mostra que 1 em cada 8 mulheres deve desenvolver essa doença durante a vida, o que representa em torno de 13% de chance. Apesar desses valores, não significa que a mulher irá permanecer com os mesmos erros, afinal medidas simples podem reduzir muito essa chance. Esse será nosso principal objetivo aqui, passar essas medidas para cada dia mais conseguirmos diminuir esses números.

Tanto é verdade, que uma pesquisa realizada há alguns anos pela American Institute of Cancer” mostrou que mais de 40% dos casos de câncer de mama diagnosticados são totalmente passíveis de prevenção. 

Quero trazer uma informação sobre métodos relativamente novos utilizados para o diagnóstico precoce ou até mesmo seguimento quando o assunto é câncer de mama. A mamografia, ultrassonografia, ressonância magnética já são exames muito comentados e não vamos dar foco aqui. Já a termografia ainda é um exame pouco falado, mas trata-se de um método bem interessante para se utilizar frente ao tema diagnóstico precoce. 
Nos próximos posts falarei mais sobre, mas qualquer dúvida sobre o câncer de mama, pode deixar seu comentário aqui.

A grande maioria dos tumores são “alimentados” pelo que chamamos de predominância estrogênica. Ou seja, as mulheres com maior exposição a estrogênio (um tipo de hormônio feminino) ao longo dos anos têm maior risco de desenvolver a doença. O fato importante é que a grande predominância ocorre principalmente em mulheres obesas, uma vez que a gordura anormal funciona como uma base de produção desse hormônio ao longo da vida. Por isso, atividade física, boa alimentação e um peso adequado passam a ser de extremo valor para saúde da mulher. 
Além dessa conduta ligada a melhora dos hábitos de vida, uma boa produção de vitamina D3 é essencial para proteção contra o câncer de maneira geral e não apenas o de mama. Para você ter ideia, o pesquisados Joellen Welsh de NY mostrou resultados fantásticos do uso da vitamina D3 na prevenção e tratamento do câncer. Em resumo: se alimente de maneira adequada, faça uma atividade física de rotina, saia da zona de obesidade / sobrepeso, assim você não apenas irá reduzir sua chance de câncer de mama mas também reduzirá a chance de qualquer doença.

O exame de termografia foi registrado no FDA em 1982, no entanto ainda é considerado como um método alternativo de screening para câncer de mama. Esse exame tem grande valor principalmente para as mulheres que vão começar a fazer o seguimento. A explicação para esse fato é importante e pra entendermos vamos falar sobre alguns pontos.
A maioria das mulheres atualmente começam a fazer mamografias em torno de 50 anos (orientação mais atual do INCA). O exame tem como base o uso de radiação, o que é deletério para nossa saúde (principalmente quando expostos em excesso). Se trata de um exame que muitas mulheres se queixam pelo desconforto ao ser realizado e não é um exame com alta capacidade de detecção em mulheres mais jovens (principalmente pela característica da glândula das mamas nessas idades).
Já a termografia é um exame não invasivo, não é necessário compressão da mama, não utiliza radiação, dura em torno de 15 minutos, não sofre influência do padrão do tecido da mama (influenciado pela idade), a mulher não entra em contato com nenhum aparelho, ou seja, pode ser realizado em qualquer idade com a mesma efetividade. 
A idade das mulheres é um ponto importante nesse comentário, afinal em torno de 15% das lesões de mama aparecem antes dos 50 anos, dessa forma a termografia teria uma boa indicação nesses casos (principalmente por ser um exame que não sofre influência da característica da glândula das mamas). Além disso, o exame pode ser usado em qualquer momento / idade como um complemento e não um substituto da mamografia conforme tem se mostrado por estudos conduzidos por Dr Alexander Mostovoy, Nimmi MD, Simmons MD e os registros do próprio FDA.

Conhecer o próprio corpo é o primeiro passo para a detecção precoce do câncer de mama. Ao palpar e observar as mamas, a mulher pode perceber alterações como:

Nódulos mamários fixos, móveis, dolorosos ou não;
Alterações na pele da mama, como vermelhidão ou aspecto de casca de laranja;
Alterações no mamilo;
Saída de secreção pelos mamilos;
Nódulos nas axilas;
Retrações da pele da mama.

Encerramos nosso serie sobre o câncer de mama, mas lembre-se, é importante ir ao médico assim que notar qualquer aspecto diferente nas mamas. Melhor período para se fazer o auto-exame é o período pós menstrual para as mulheres que não estão na menopausa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: