Como preparar seus alimentos?

Você já parou pra pensar se realmente prepara seus alimentos da melhor forma possível? Quando falo isso, significa que nosso objetivo será ter o menor comprometimento dos macro e micronutrientes. Muitas vezes temos uma comida perfeita, mas após seu preparo, perdemos muito e em certos casos até pioramos a qualidade inicial.

A partir dessa idéia queremos passar algumas informações valiosas de como não comprometer e ainda conseguir ter mais ganhos após preparar suas refeições. Inicialmente, lembre-se sempre: você já tem um diferencial enorme devido o importante fato de ter escolhido um caminho diferente da grande maioria quando decidiu viver com equilíbrio e qualidade pra atingir a melhor fase da longevidade.

No preparo dos alimentos 3 fatores podem melhorar ou piorar o processo, vamos falar a respeito de cada um deles para você aprender de forma simples a contornar todo processo: temperos / óleos utilizados, material das panelas e temperatura de preparo. Esses são itens que começaremos a colocá-los para atuarem a nosso favor e por incrível que pareça, ao final, sua comida ficará mais saudável e saborosa. 

TEMPEROS / ÓLEOS

Os óleos vegetais (CAN.O.L.A., girassol, soja, milho) fazem parte dos alimentos industrializados e devem ser abandonados . Ao preparar qualquer alimento com esse tipo de substância, você indiretamente consumirá grandes quantidades de gordura Trans, que são as mais inflamatórias e maléficas para seu organismo.

Comece a usar gorduras como a banha de porco, manteiga GHEE, óleo de coco, esses exemplos podem ser aquecidos sem qualquer problema. Na realidade, esse tipo de alimento vai trazer inúmeros benefícios para sua saúde. Neste momento vale lembrar do azeite de oliva: é muito bom para seu corpo, no entanto não deve ser aquecido, porque dessa forma perde todos os benefícios. Lembre-se: o azeite de oliva deve ser extra virgem, prensado a frio, armazenado em vidro escuro.

MATERIAL DAS PANELAS / RECIPIENTES

Isso mesmo, parece algo novo, no entanto há alguns anos já temos esse conceito bem sedimentado. Cozinhar em panelas de metal faz com que esse elemento seja liberado na sua comida e consequentemente, esses metais vão se acumular no seu corpo em pequenas doses diariamente por anos a tal ponto que essas doses homeopáticas se transformem em “over dose”. O alumínio é o mais frequente e ele tem uma associação com muitos problemas de saúde ligados a contaminação por metais tóxicos – como por exemplo a capacidade dele de deslocamento do ferro da ferritina, que tem relação bem próxima com uma das causas do aumento da incidência do câncer de mama nas mulheres. 

Outro ponto interessante são os comuns recipientes de plástico. Eles quando submetidos ao calor até mesmo da exposição ao sol (garrafas de água transportadas em caminhões durante o dia) liberam uma substância conhecida como bisfenol-A (BPA). Essa substância química atua no corpo humano como um xenoestrógeno, que tem ação análoga de um hormônio estrogênio. Dessa forma, milhares de crianças e adultos são expostas diariamente a esses agentes a ponto que cada dia mais observamos problemas como por exemplo: meninas que menstruam mais cedo, homens com ginecomastia, câncer de mama e assim por diante.

Solução: evite ao máximo as panelas de alumínio, de preferência para as de cerâmica. Não use recipientes de plástico no seu dia a dia, principalmente se eles ficam expostos a temperaturas mais altas ou baixas e comece a armazenar os alimentos em recipientes de vidro. 

TEMPERATURA

Quando aquecemos nossos alimentos, temperaturas elevadas, ou seja, acima de 150 / 160 graus C, os alimentos passam por um processo de formação de substâncias conhecidas como aminas heterocíclicas e hidrocarbonetos aromáticos. Esses dois compostos químicos são extremamente agressivos ao nosso metabolismo com capacidade de influenciar no aumento da chance de desenvolvimento de doenças graves como câncer. Outro ponto importante ligado as elevadas temperaturas é a desnaturação dos nutrientes, que passam a ter um formato inadequado com incapacidade de gerar os benefícios ao nosso organismo. 

Solução: o melhor método será consumir cru os alimentos que oferecem essa possibilidade ou aquecer levemente, cozinhar no vapor por curtos períodos, assar no forno com temperatura controlada até 160 graus C. Devemos evitar ao máximo alimentos queimados, preparados em altas temperaturas, fritos rapidamente e torrados em geral. 

Sempre surge a dúvida a respeito do microondas! Neste caso, a orientação será evitar ao máximo (ou melhor: deixar de usar mesmo), o processo de aquecimento ocorre através de elevadas temperaturas e o preço por isso será semelhante ao que comentamos anteriormente.

Dessa forma conseguimos minimizar muito esses problemas ligados ao método de preparo a tal ponto que muitas pessoas relatam uma melhora da saúde e disposição pelo simples fato de terem passado a ter esse conhecimento. 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: