Mamoplastia de Aumento

A cirurgia plástica para aumento das mamas é um dos procedimentos estéticos mais realizados no mundo. A indicação de aumento está diretamente relacionada ao padrão do desejo da paciente somado a determinados pontos a serem considerados em conjunto com o cirurgião para o melhor resultado. O tamanho ideal das mamas é muito subjetivo e tem uma variação muito grande de acordo com a cultura de cada local. No entanto, devemos concordar que algumas características são essenciais para um resultado belo e gracioso. 


Por isso, o médico deve usar seu conhecimento estético e anatômico para determinar os melhores caminhos. Tanto que esteticamente numa vista de perfil: as mamas apresentam a porção superior em linha reta angulada, no polo inferior temos uma leve curva e o complexo aréolo papilar está no ponto de maior projeção. Ao usar esses parâmetros e somar isso a visão da paciente, podemos chegar a idéia inicial de como será o processo de abordagem, escolha/posicionamento do implante e via de acesso para realizar a cirurgia.

Depois de realmente decidir se existe uma indicação adequada para a cirurgia de aumento mamário, devemos escolher o tipo de implante que será utilizado. Basicamente, os mais usados no mundo atual são os de silicone, nos formatos redondo e anatômico (“em gota”). O tamanho/volume do implante está ligado a proporção existente entre a base mama e o tórax. Já o formato do implante tem muito contato com o que realmente queremos de resultado final. As próteses redondas oferecem a maior projeção na região central da mama. 


Enquanto as próteses anatômicas conseguem oferecer maior volume no polo inferior com menor convexidade no polo superior. No final, a prótese anatômica oferece um volume mais homogêneo na mama, enquanto a redonda oferece maior projeção central com mais convexidade superiormente.

Após decidir se existe a indicação da cirurgia para aumento das mamas e escolher o implante, podemos definir a incisão e a posição do implante. Basicamente a via de acesso/incisão para colocar o implante é escolhida de acordo com a especificidade anatômica de cada paciente. A abordagem pela areola é de preferência realizada nos pacientes que apresentam complexo aréolo papilar com maior diâmetro. A via axilar é principalmente para as mulheres que querem evitar a cicatriz na topografia da mama. Já a incisão infra mamária (no sulco da mama) é a mais utilizada mundialmente, uma vez que fica posicionada em um local praticamente imperceptível no pós-operatório tardio.

Quando o assunto é a posição do implante mamário podemos falar em subglandular e submuscular. A prótese subglandular é mais utilizada para pacientes que possuem mais tecido, mamas com um volume um pouco maior e que consequentemente apresentam mais pele. A posição submuscular fica para as pacientes com mamas muito pequenas. 
Quando falamos nesses tópicos é importante lembrar: em tudo temos vantagens e desvantagens, por isso a avaliação pré-operatória cuidadosa é importante para um bom resultado final.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: