Cirurgia Plástica: Estética e Reparadora

Apesar de parecer um mundo restrito, conforme muitas pessoas imaginam, a cirurgia plástica representa um espectro enorme para tratamento de doenças. Além disso, as técnicas abordam o paciente como um todo e caminham inclusive pelo mundo da estética. 

Existe uma divisão entre dois grandes grupos dentro da cirurgia plástica: estética e reparadora. Na realidade, essa separação é algo meramente conceitual, uma vez que os dois caminham de maneira harmônica frente ao universo dos tratamentos desempenhados.

Inicialmente, podemos entender como estética os tratamentos relacionados a um paciente que não apresenta uma doença concretamente falando e deseja realizar uma cirurgia para melhorar a queixa presente. Um exemplo simples que podemos citar é uma jovem com queixa de mamas pequenas que deseja uma cirurgia para aumento mamário. Por outro lado, podemos olhar para cirurgia reparadora, que é uma via de tratamento de doenças, por exemplo, uma mulher que perdeu a mama devido a abordagem cirúrgica para retirada de alguma doença e a cirurgia plástica será para reconstrução de uma nova mama.

No entanto, gosto muito de reforçar que esses conceitos são meramente didáticos pelo seguinte motivo: quando vamos realizar um procedimento estético ou mesmo para reconstrução a idéia em si será oferecer para a paciente o melhor resultado possível. Em uma cirurgia de reconstrução de mama, por exemplo, vamos seguir uma abordagem para colocar as novas mamas dentro do melhor padrão estético possível.

Na realidade, até mesmo durante os tratamentos de doenças e consequentemente a reconstrução, o objetivo final será uma padrão estético de qualidade. Enfim, neste momento entendemos como a reparadora está totalmente associada a estética.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: